NotíciasRolagem

NOTA DE REPÚDIO

Ignorando a dura realidade que atravessa o país, algumas pessoas acreditam que podem ignorar as recomendações do poder público no combate a Covid-19 e simplesmente agir como bem entenderem.

Na tarde do último sábado, um Desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo deu mais uma demonstração de arrogância e de desrespeito às normas de combate a pandemia e a todos que vem arriscando suas vidas para orientar e impedir que a doença avance.

O Desembargador, Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, humilhou um Guarda Civil Municipal de Santos que recomendou o uso de máscara ao caminhar na orla da praia. Ao ser informado que seria multado, o Desembargador chama o GCM de “analfabeto” telefonando diretamente para o Secretário Municipal. Na sequência ainda rasga a multa e a joga no chão.

Com mais de 2 milhões de pessoas infectadas e quase 80 mil mortos, atitudes como a do Desembargador só contribuem para o agravamento da situação, e expõe toda a arrogância despicienda de sua conduta.

“As imagens chocam toda sociedade, pois não é essa a conduta que se espera de alguém cuja a função é de prezar pela observância das leis. Não toleraremos comportamentos que denigram instituições e ofendam seus operadores e vamos acompanhar o caso até o final.” Afirmam os diretores da FENAGUARDAS.

O Covid-19 já vitimou mais de 60 Guardas Municipais em todo Brasil e a informações que outras centenas estão infectadas, justamente por fazerem um trabalho de combate na linha de frente, orientando e auxiliando as ações de combate a Pandemia.

O caso ocorrido em Santos só foi possível dar a amplitude necessária por conta das imagens. Na cidade de Mogi das Cruzes, por exemplo, mais dois profissionais da Guarda Municipal foram violentamente agredidos por cumprirem o seu legítimo papel de cobrar o cumprimento das medidas de proteção a COVID-19.

No caso específico de Santos, o conselho Nacional de Justiça e o Tribunal de Justiça abriram procedimentos investigatórios para avaliar a conduta do magistrado, estaremos acompanhando de perto o desenrolar deste procedimento, cobrando correição exemplar.

Lamentamos e repudiamos o ocorrido e nos solidarizamos com os Guardas Civis Municipais de Santos e das demais regiões do país.

“Precisamos vencer o vírus da ignorância, da arrogância e do desprezo pelo outro, se quisermos vencer a pandemia”.

FENAGUARDAS – JUNTOS SOMOS MAIS FORTES!