Sindicais

NOTA DE REPÚDIO

[SÃO PAULO] O senhor prefeito Bruno Covas entre os diversos equívocos que vem praticando desde que assumiu a prefeitura da cidade recentemente durante o programa Pânico apresentado pela rádio jovem Pan mostrou seu total despreparo em ocupar o importantíssimo cargo de Prefeito da maior Cidade do Brasil.
Durante uma entrevista muito alegre e muito extrovertida, em meio aos milhares de vítimas fatais na cidade que ele governa, expôs seu conhecimento obtuso sobre o que é poder de polícia e se sobre as competências da Guarda Civil Metropolitana, competências essas que são do próprio chefe do executivo municipal.
Na infeliz e desconexa fala o Senhor Bruno Covas afirma que a “Guarda Civil Metropolitana é apenas uma Guarda Patrimonial”.
O estupido e lamentável comentário, muito comum a atual administração municipal a exemplo do rodizio que durou apenas uma semana e causou muito prejuízos aos cidadãos paulistanos, mostra decisões antagônicas de quem tem o importante múnus de cuidar de vida das pessoas.
Entre as atividades essenciais à manutenção do estado de emergencial nosso travesso prefeito elencou as atividades de segurança urbana, que é executada pelos trabalhadores da Guarda Civil Metropolitana, como atividade essencial ao combate da pandemia que vem causando tantas mortes.
O senhor Bruno Covas deveria procurar se informar das competências dos seus instrumentos de execução das políticas públicas municipais e procurar um se inteirar sobre o que é poder de polícia, mas devido ao descaso no gerenciamento da rés pública (coisa pública) vamos ofertar um mínimo de conhecimento para o exercício da função de prefeito.
“Art. 78 CTN. Considera-se poder de polícia a atividade da administração pública que, limitando ou disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou abstenção de fato, em razão de interesse público concernente à segurança, à higiene, à ordem, aos costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de atividades econômicas dependentes de concessão ou autorização do Poder Público, à tranquilidade pública ou ao respeito à propriedade e aos direitos individuais ou coletivos”
Mas se concepção do nobre jocoso Bruno Covas a Guarda Civil Metropolitana é apenas uma “Guarda patrimonial” qual seria a justificativa para manter os trabalhadores da Guardas Civil Metropolitana 24 horas por dia na região conhecida como Cracolândia onde há o constante tráfico de drogas e tantos outros ilícitos penais, porque os GCMs tem a incumbência de fiscalizar o fechamento do comercio, porque os GCMs foram obrigados a fiscalizar o desnorteado em inútil rodizio de veículos, etc.
O senhor Bruno Covas desde que assumiu a prefeitura vem produzindo mais “porquês” do que soluções práticas para a cidade e para população da Cidade de São Paulo, afinal a sua gestão que tem características de uma grande área de lazer.
Mas essa forma de divertida de lidar com a Administração vem custando vidas humanas, e em especial de vários policiais da Guarda Civil Metropolitana que tombaram na guerra contra esse inimigo letal que não tem o mesmo bom humor do nosso ultrajante prefeito.
Os trabalhadores da Guarda Civil Metropolitana nunca fugiram as suas responsabilidades e muito menos nunca trataram a cidade ou a população com desprezo demonstrado pelo desidioso Prefeito e exigimos o mesmo tratamento e respeito daquele que ocupa de forma transitória a cadeira de Prefeito.

Veja o video