Sindicais

Guarda Metropolitano descobre doença degenerativa sem cura e amigos fazem vaquinha para tratamento

[TOCANTINS] Subinspetor da Guarda Metropolitana de Palmas (GMP), José Alves Resplande foi diagnosticado com a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), doença degenerativa, rara, muito agressiva, ainda sem causa definida e sem cura, em março deste ano.

Para custear o tratamento, os colegas de José Alves na GMP iniciaram uma campanha de arrecadação de fundos no dia 3 de junho. O valor estimado que precisa ser arrecadado é de R$ 250 mil.

Os tratamentos da doença e terapias ofertadas no Brasil são apenas paliativos no sentido de amenizar e facilitar a vida do paciente. Das poucas informações que se tem é que ela pode evoluir para um quadro grave muito rapidamente, principal razão que motivou a solidariedade dos colegas.

Os tratamentos mais avançados são realizados em países como Estados Unidos, Canadá e Inglaterra e custam a partir de 40 mil dólares. Para um servidor público é muito difícil juntar todo esse dinheiro, por isso decidimos nos mobilizar”, disse a GMP Jaqueline Sonego.

Para conseguir os R$ 250 mil, os familiares e amigos de José Alves deram início a uma vaquinha on-line, que em dois dias já arrecadou 4% da meta final, cerca de R$ 11 mil. Além disso, outras ações entre amigos estão sendo programadas para os próximos dias.

Em decorrência da pandemia, as ações de segurança no município estão sendo reforçadas pelos guardas metropolitanos em regime de escalas extraordinárias, e desse modo, alguns servidores da instituição se mobilizaram também para doar o pagamento do trabalho extraordinário, executado neste período, para ajudar o amigo de farda.

Estamos confiantes que conseguiremos arrecadar o total até o final da meta estipulada, contudo, precisamos correr contra o tempo para conseguirmos o quanto antes. A ideia de doarmos um plantão extraordinário é uma forma de impulsionarmos as arrecadações para que nosso colega tenha condições de iniciar o tratamento o mais breve possível”, justificou o GMP Roberson Lima.

Mobilização

O movimento de arrecadação teve início após o subinspetor Resplande passar por três neurologistas para diagnosticar a doença, uma saga que se iniciou em março deste ano.

Submeter-se ao tratamento mais avançado é a única esperança para que Resplande restabeleça sua saúde e volte a ter uma vida normal.

Os interessados em ajudar podem fazer doações através da vakinha neste link: vaka.me/1094713

Carreira na Guarda Metropolitana de Palmas

José Alves Resplandes, o GMP subinspetor Resplandes tem 46 anos, casado, pai de três filhos, é um dos pioneiros na Guarda Metropolitana de Palmas, instituição onde é servidor efetivo há mais de 20 anos. Até agosto de 2019, ele desenvolvia suas atividades laborais normalmente, quando foi surpreendido por um infarto chegando a ficar três dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Ficou, por alguns dias, afastado de suas funções, mas assim que autorizado, retornou aos trabalhos de patrulhamento em viatura pelas ruas e avenidas de Palmas. Em março de 2020, começou a sentir fraqueza e passou a cumprir seu expediente no Quartel da GMP.

Retornou ao médico e começou uma bateria de exames para descobrir qual enfermidade lhe acometia e qual tratamento deveria fazer. Infelizmente, foi diagnosticado com Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), uma doença muito rara a qual ainda não há causa comprovada e nem tratamento capaz de reverter o quadro no Brasil.

Esclerose Lateral Amiotrófica

ELA é a sigla utilizada para a Esclerose Lateral Amiotrófica, uma doença que afeta o sistema nervoso de forma degenerativa e progressiva e acarreta em paralisia motora irreversível. Pacientes com a doença sofrem paralisia gradual e morte precoce como resultado da perda de capacidades cruciais, como falar, movimentar, engolir e até mesmo respirar.

Apenas cerca de 25% dos pacientes sobrevivem por mais de cinco anos depois do diagnóstico, uma das exceções foi o físico britânico Stephen Hawking, morto em 2018. Esclerose Lateral Amiotrófica significa: Esclerose – endurecimento e cicatrização. Lateral – endurecimento da porção lateral da medula espinhal. Amiotrófica – fraqueza que resulta na redução do volume real do tecido muscular, atrofia.

A ELA é uma das principais doenças neurodegenerativas, assim também, como Parkinson e Alzheimer. A idade é um dos fatores de predisposição mais determinante, prevalecendo nos pacientes entre 55 e 75 anos de idade.

Fonte: https://afnoticias.com.br